Catadores(as) e a Metrópole

Identidade, processo e luta

Estudantes da Ufal criam software para facilitar pesagem dos catadores em Arapiraca

UFAL - catadores

 

Em reunião realizada nesta quarta-feira (10), um grupo formado por representantes da Prefeitura de Arapiraca e da academia traçou planos para a conscientização dos catadores de lixo* da cidade e aprimoramento de suas funções.

Alunos bolsistas de Ciência da Computação da Universidade Federal de Alagoas (Ufal), campus Arapiraca, elaboraram um projeto de Desenvolvimento em Tecnologia para dar assistência a estes trabalhadores: um software que agiliza a pesagem dos materiais recolhidos.

O processo é feito por meio de biometria numa balança com o dispositivo instalado.

Aliados a eles neste projeto multidisciplinar, há ainda outros estudantes do curso de Pedagogia que fazem todo o encaminhamento da educação ambiental, mostrando a necessidade efetiva da coleta seletiva.

Estavam no encontro ocorrido na sala de reuniões do Centro Administrativo Antônio Rocha, a assistente social Joelma Ribeiro de Oliveira, da Secretaria Municipal de Assistência Social e Juventude; o professor e um dos orientadores no projeto, Alexandre Paes; os estudantes do 7º período do curso de Ciência da Computação, Hérica Machado, Alex Ferreira, Eduardo Barbosa e João dos Santos; e Ismael Nunes Júnior e Maryanne Vieira, do Departamento de Educação Ambiental, da Secretaria Municipal de Meio Ambiente e Saneamento.

Segundo o professor Alexandre Paes, os alunos estão se aprofundando mais para melhor desenvolver este sistema biométrico de pesagem. A ele, deram o nome de “New Recicle”.

“Criamos este software para auxiliar a Associação dos Catadores de Resíduos Sólidos de Arapiraca, a Ascara, com a intenção ainda de expandi-lo para outros estados”, diz o docente. Já há indústrias de Pernambuco interessadas no dispositivo.

A criação dessa plataforma livre se deu depois que o estudante Eduardo Barbosa notou que o mesmo era feito no município de São João Del Rei, interior de Minas Gerais, mas sendo cobrada uma taxa pelo programa.

“Desde 2010, nossa ideia era a de que este software deveria ser gratuito e, com a bolsa da Ufal e a ajuda da Prefeitura de Arapiraca, por meio da Secretaria de Assistência Social, estamos podendo ter um contato maior com estes catadores para que tenhamos mais suporte na finalização do nosso projeto”, diz.

Conforme seu parceiro de estudos João dos Santos, este é um sistema que permite a integração entre os catadores, onde cada um vai ver, por meio do sistema biométrico, o que foi pesado, quem o fez e quando.

“Sobretudo, é importante que haja esse contato com os catadores, porque eles têm que ter o compromisso com a coleta seletiva e, em breve, eles mesmos estarão mexendo neste software, que é bem acessível e de fácil entendimento. Além disto, com este sistema, o fortalecimento da associação e da comunidade será efetivo”, pontua a assistente social Joelma Ribeiro.

No próximo dia 27 de julho, ela e outras assistentes sociais irão até o aterro sanitário da comunidade de Mangabeiras realizar ações educativas e de conscientização com os catadores, na Escola de Tempo Integral Dom Constantino Lüers.

Fonte: Assessoria

Publicado no site Já é Notícias – Veja publicação original.

Anúncios

Que que você achou?

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Informação

Publicado às 15/07/2013 por em Na mídia e marcado , , , , , , .

Caçamba

%d blogueiros gostam disto: